Al M De Um Quarto Escuro

Al  m De Um Quarto Escuro PDF
Author: Fabrício
Publisher: Clube de Autores (managed)
ISBN:
Size: 61.16 MB
Format: PDF
Category :
Languages : pt
Pages : 100
View: 4313

Get Book

Al M De Um Quarto Escuro

by Fabrício, Al M De Um Quarto Escuro Books available in PDF, EPUB, Mobi Format. Download Al M De Um Quarto Escuro books, É difícil para uma pessoa dizer o que sente quando está em depressãoPorque os sentimentos dela se misturaram todos e ficaram presos dentro de siEntão ela só consegue sentir as dores, mas não explicá-lasEla pensa que isso tudo só vai piorar, mas não percebe que há sim uma soluçãoDesabafar então... Só escrevendo mesmo ou em pensamentos!São momentos de pura angústia, ansiedade, medo, dor e outros inexplicáveisE uma sombra enorme cobrindo tudo, chamada solidão!


Al M Da Alma

Al m da Alma PDF
Author: Gaston Levy
Publisher: iUniverse
ISBN: 1491725834
Size: 49.82 MB
Format: PDF, ePub, Mobi
Category : Biography & Autobiography
Languages : en
Pages : 408
View: 3902

Get Book

Al M Da Alma

by Gaston Levy, Al M Da Alma Books available in PDF, EPUB, Mobi Format. Download Al M Da Alma books, De maneira divertida e pitoresca, o autor narra suas memórias da infância no Egito, das reuniões de família e os aromas dos pratos preparados por sua mãe aos sons e imagens da vida egípcia daquela época. O autor, então, nos leva em seu amargo êxodo do Egito para o Brasil. Ele compartilha com o leitor seus primeiros desafios naquela terra desconhecida e fala sobre sua vida no Rio de Janeiro e, posteriormente, no Canadá. Finalmente, ele encerra sua jornada em Boston, nos Estados Unidos, após a oferta de uma transferência definitiva para a sede da companhia naquela cidade. Ele, então, discorre sobre sua árdua ascensão na empresa, de passo em passo, afiando suas habilidades de gerenciamento a cada etapa e culminando com sua chegada ao topo da carreira corporativa. Ali, ele aprendeu a lidar com seu Conselho de Administração, banqueiros de investimento e analistas de Wall Street. Este garoto de Alexandria nos convida a penetrar seus pensamentos mais profundos, mostrando-nos como conseguiu desenvolver um novo conceito de vida, seu significado e propósito, graças à Logosofia, a ciência do autoconhecimento. Por fim, ele nos oferece suas conclusões, após vinte anos de investigação, sobre "As Origens da Antiga Civilização Egípcia" e "Quem Foram os Judeus".


Manchete

Manchete PDF
Author:
Publisher:
ISBN:
Size: 14.19 MB
Format: PDF, Kindle
Category :
Languages : pt
Pages :
View: 165

Get Book

Manchete

by , Manchete Books available in PDF, EPUB, Mobi Format. Download Manchete books,


Dicion Rio Did Tico De Portugu S

Dicion  rio did  tico de portugu  s PDF
Author: Maria Tereza Camargo Biderman
Publisher:
ISBN:
Size: 57.46 MB
Format: PDF
Category : Portuguese language
Languages : pt
Pages : 965
View: 4639

Get Book

Dicion Rio Did Tico De Portugu S

by Maria Tereza Camargo Biderman, Dicion Rio Did Tico De Portugu S Books available in PDF, EPUB, Mobi Format. Download Dicion Rio Did Tico De Portugu S books,


Vis O

Vis  o PDF
Author:
Publisher:
ISBN:
Size: 19.81 MB
Format: PDF, ePub
Category : Brazil
Languages : pt
Pages :
View: 2504

Get Book

Vis O

by , Vis O Books available in PDF, EPUB, Mobi Format. Download Vis O books,


Meia Noite Num Quarto Escuro

Meia Noite Num Quarto Escuro PDF
Author: Maximiliano Da Rosa
Publisher: Clube de Autores
ISBN:
Size: 70.10 MB
Format: PDF, ePub, Docs
Category : Juvenile Fiction
Languages : pt-BR
Pages : 147
View: 2804

Get Book

Meia Noite Num Quarto Escuro

by Maximiliano Da Rosa, Meia Noite Num Quarto Escuro Books available in PDF, EPUB, Mobi Format. Download Meia Noite Num Quarto Escuro books, Ela chegou pra mim e disse: estou grávida de um filho seu, eu não me mexi do lugar onde estava, apenas neguei: está enganada, não vê que não pode ser?, ela reafirmou: tanto pode como é, eu retruquei: não acredito, ela vaticinou: vai nascer em poucos meses. Irritado, perdi a cabeça, esbofeteei-a e, como estava acostumado a fazer, simplesmente fugi. O que foi quase inútil porque dias depois ela veio atrás de mim toda desorientada. Mas, encontrou-me na cama aos beijos com uma mulata de olhos verdes e dentes muito brancos, e ficou sem saber o que fazer ou dizer, então fui eu quem disse: bem que lhe avisei que não me prendia nunca a ninguém, e lhe mandei pegar seu rumo pra casa. A seguir fechei a porta bem no meio da sua cara macilenta. Porém ela não foi embora, ficou algo que furiosa, começou a gritar feito uma doida varrida, e com tamanha amplitude que acordou metade da vizinhança ao redor, tanto que alguém chamou a polícia, e a polícia demorou três dias pra chegar mas chegou, e logo que chegou me fez abrir a porta, ao quê a mulata me pediu: fica aqui, meu rei, nos braços da tua neguinha, mas me fiz de sem ouvidos e, afinal, sai da cama e dos braços da mulata e fui saber o que a polícia queria comigo. E a polícia me indagou a respeito da mulher que gritava na minha porta e eu tive de mentir: não sei quem é, nunca vi mais gorda, mas a mulher era insistente mesmo e falou: estou esperando um filho desse sem-vergonha, a polícia perguntou a mim: isso é verdade?, pensei rápido e respondi: isso é uma baita mentira, seu polícia, e emendei: cadê a barriga dela?, e a polícia olhou a barriga lisinha da mulher e perguntou: é mesmo, a barriga, cadê?, e a mulher gaguejou: é que não começou a crescer ainda, e foi aí que aproveitei pra me safar, entreabri a porta do quarto, mostrei pra polícia a mulata peladinha deitada na minha cama só me esperando e larguei essa: é pura dor de cotovelo dessa daí porque estou amando a mulata e não ela, e a polícia espiou pra dentro do quarto e disse: ah, saquei, e nisso já pegou a doida que dizia estar esperando um filho meu e a enfiou no banco de trás da viatura. Mas antes do carro arrancar ela botou a cabeça pra fora e gritou: seu filho da puta, desgraçado, um dia esse mesmo filho que você está enjeitando vai voltar aqui pra acertar as contas. Pode esperar. Depois que a polícia foi embora levando a mulher, voltei pra cama, caí de boca na mulata, lambi seu corpo com minha língua molhada e antes de penetrá-la com meu membro túrgido, perguntei: você não vai inventar de pegar barriga, vai?, e a mulata respondeu, toda meiga: não se preocupe, meu rei, eu tomo a pílula, então suspirei: ainda bem, e gozei fartamente naquelas entranhas. Trecho do conto Filhos Versus Pais